Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais

Pesquisas Concluídas

Pesquisas concluídas

Programa de Negociações Internacionais – Pronint

O PRONINT desenvolve atividades de pesquisa, assessoria, formação e debate público sobre o funcionamento do sistema internacional e seus impactos no Brasil, com foco em negociações, análise de riscos, contratos, finanças e diplomacia comercial.

Áreas de concentração:

Negociações Internacionais, entendidas como processos interativos sociais que envolvem partes autônomas e que buscam conformar acordos que atendam interesses.

Temáticas associadas: Princípios e estratégias de negociação. Variáveis condicionantes e contextuais. Fatores emocionais e interculturais. Metodologias de análise de risco. Contratos internacionais e arbitragem internacional

Diplomacia Econômica, analisando como os países conduzem suas relações, definem interesses e tomam decisões de política comercial.

Temáticas associadas: Organização Mundial do Comércio, estrutura, princípios, processos e temas objetos de negociação, como agricultura, NAMAs, acordos bilaterais e novas barreiras comerciais, comércio de serviços, regras sobre investimentos estrangeiros, acordos sobre direito de propriedade intelectual, cláusulas ambientais, relação entre comércio e direitos trabalhistas.

Finanças Internacionais, abordando as crises e seus impactos em termos de crescimento, volatilidade financeira, atividade econômica nos países emergentes, governança global e representação das organizações financeiras multilaterais.

Temáticas associadas: regras sobre fluxos internacionais de capitais (investimentos estrangeiros diretos e de carteira; empréstimos bancários e não bancários). Acompanhamento das discussões das organizações internacionais envolvidas com os aspectos comerciais (OMC), financeiros e monetários (FMI, G20) desses temas.

Internacionalização de empresas e impactos políticos e societários.

Temáticas associadas: Análise da conjuntura internacional, avaliação de processos políticos, econômicos, sociais, culturais e jurídicos em países e/ou regiões.

Formação:

Curso de Especialização em Negociações Econômicas Internacionais. Oferecido anualmente entre 2004 e 2012.

Publicações:

Política Externa Brasileira, Cooperação Sul-Sul e Negociações Internacionais: Organizado por Haroldo Ramanzini Jr. e Luis Fernando Ayerbe. Cultura Acadêmica Editora, 2015.

Negociações Econômicas internacionais. Abordagens, atores e perspectivas desde o Brasil. Organizado por Luis Fernando Ayerbe e Neusa Bojikian, Editora Unesp, 2011.

Reflexões acerca da crise do Euro. Luiz Afonso Simoens.

Países em desenvolvimento em uma ordem internacional em transformação: coalizões e soluções de disputas na OMC. Haroldo Ramanzini Jr. e Manuela Trindade Viana

Projetos:

Cooperação Sul-Sul e Negociações Internacionais

Coordenação: Haroldo Ramanzini Jr.

pdf_icon

Extraterritorialidades, entrecruzamento de soberanias e conflitos na América Latina

O projeto objetiva fazer uma análise e mapeamento anual de conflitos em espaços extraterritoriais na América Latina, tomando como referência dois eixos:

  1. A perspectivas do governo dos Estados Unidos, cuja agenda de segurança identifica “áreas não governadas”, associadas a territórios com baixa presença do Estado, favorecendo a atuação de redes do crime organizado e do terrorismo.
  2. Espaços de soberania paralelos ao Estado, reivindicados por movimentos sociais, grupos étnicos, empresas multinacionais e outros.

O objetivo é analisar problemáticas emergentes associadas à governabilidade e ao conflito, tomando como referência processos de desterritorialização e reterritorialização que resultam de políticas estatais, ação de movimentos sociais, organizações armadas, redes de crime organizado, grupos étnicos, empresas multinacionais e potências extrarregionais.

O projeto, coordenado pelo IEEI, envolve a participação de pesquisadores de universidades da Argentina, Costa Rica, Cuba, Estados Unidos e México, e recebe apoio da Fundação Friedrich Ebert.

Livros, ensaios, apresentações:

US National Security Concerns in Latin America and theCaribbean: the concept of ungoverned spaces and failed states. Editado por Gary Prevost, Harry E. Vanden, Carlos Oliva Campos e Luis Fernando Ayerbe. Palgrave Macmillan, 2014.

http://us.macmillan.com/usnationalsecurityconcernsinlatinamericaandthecaribbean/GaryPrevost#biography

Painel organizado pelo IEEI-UNESP no Congresso da Associação Brasileira de Relações Internacionais (ABRI) – PUC Minas Gerais

O conceito de Sumak Kawsay e o desenvolvimento equatoriano no governo de Correa: o caso da proposta Yasuní-ITT

Carolina Silva Pedroso

pdf_icon

As maras e pandillas e a violência urbana no Triângulo Norte da América Central pelo viés da segurança internacional

Paulo Mortari A. Correa

pdf_icon

La profusión de mecanismos de integración latinoamericanos y su impacto en la seguridad hemisférica. Visiones desde think tanks estadounidenses de diversos espectros políticos y partidarios

Luis Fernando Ayerbe

pdf_icon

Territorialidades, conflitos e desafios à soberania estatal na América Latina

Luis Fernando Ayerbe (org.)

Fundação Memorial da América Latina

ISBN: 978-85-8201-005-1

pdf_icon

O conceito de áreas não-governadas ou black-spots e os desafios políticos e teóricos para a agenda de segurança do pós Guerra Fria

Marília Carolina Barbosa de Souza

pdf_icon

Os territórios “não governados” na agenda de segurança dos Estados Unidos. Afirmação da ordem mundial estadocêntrica?

Luis Fernando Ayerbe

pdf_icon

Conflitos envolvendo transnacionais e a sociedade civil na América do Sul  - Adalton Oliveira

A guerra ao lado – Ruth Pinheiro Costas

Peru: evolução recente e desafios futuros – Marcelo Santos

Risco de conflito e decisões de investimento em áreas de baixa governabilidade: organizações internacionais, agências estatais e corporações – Luis Fernando Ayerbe

pdf_icon

• Reforma do Sistema Monetário Internacional – O Debate Atual.

Linhas de pesquisa:

  1. Estudo das principais propostas de reforma do sistema monetário internacional, que, desde os Anos Setenta, foram discutidas em foros multilaterais, visando recuperar maior estabilidade do dólar, e analise das crescentes contestações teóricas e práticas que têm sido feitas atualmente à moeda de referência mundial. Ê dada ênfase ao eventual fortalecimento dos Direitos Especiais de Saque (DES ou SDR, na sigla em inglês).
  2. Estudo acerca do papel que pode ser representado pelos países emergentes, particularmente a China, e, como é de nosso interesse, o Brasil. Ênfase nos pagamentos internacionais em moedas nacionais e à possibilidade de surgimento de moedas regionais.

Projeto coordenado pelo IEEI, a partir de parcerias com outras instituições.

Ensaios relativos ao projeto:

Sistema financeiro internacional – “Quo Vadis”? - Luis A. S. Silva

pdf_icon

Política econômica, fragilidade financeira e desenvolvimento: evidências e perspectivas – Elton. E. Casagrande, Silvana G. Reis e Renato Garcia

pdf_icon

As propostas de reforma do sistema financeiro internacional; perspectivas desde o Brasil - Luis A. S. Silva

pdf_icon

• O Componente Religioso e Conservador na Dinâmica da Sociedade Norte-Americana e suas Conseqüências na Posição Hegemônica dos EUA.

• Novas Mídias Digitais (Audiovisual, Games e Música): Impactos Econômicos, Sociais e Políticos (com o apoio da Fundação Ford).

• Tensões entre Meio-Ambiente e Crescimento Econômico (com o apoio da Fundação Friedrich Ebert e do Instituto Porto Seguro).

• As Novas Lideranças Populares na América do Sul (com o apoio da Fundação Friedrich Ebert).

• European Union – Latin American Relations Observatory (OBREAL). Durante o triênio 2005-2007, conforme contrato com a Comissão Européia, o IEEI co-coordena a Área Temática Global Governance and Multi-Regionalism do consórcio internacional de universidades e instituições que conduz o projeto.

• Propriedade Intelectual – Tensões entre a Lógica do Capital e as Demandas Sociais e Desenvolvimentistas (com apoio da Fundação Ford).

• Perspectivas de Crescimento Sustentado da Economia Brasileira (com apoio do Instituto Porto Seguro e da Fundação Friedrich Ebert).

• O Padrão de Inserção da Coréia do Sul na Economia Global (com o apoio do Conselho Consultivo para Unificação Pacífica e Democrática da Coréia para a América Latina).

• A Transição Geopolítica da Europa Central: Polônia, Hungria e República Tcheca (com o apoio do IPRI-FUNAG e Fundação Konrad Adenauer).

• Logística de Transportes no Processo de Globalização (com o apoio da Fundação Konrad Adenauer).

• África do Sul, Brasil e Índia: Convergências e Perspectivas de Aliança (com o apoio da Fundação Ford).

• Cenários para a China e oportunidades estratégicas (com o apoio da Fundação Alexandre de Gusmão).

• Perspectivas Econômicas, Sociais e Políticas da América Latina a partir das Novas Tendências de Integração Continental (com o apoio da Fundação Konrad Adenauer).

• Os desafios da China no início do século XXI (com o apoio da Fundação Alexandre de Gusmão).

• Investimentos, Inovações e Mutações Sociais (em apoio ao Instituto de Estudos Estratégicos Internacionais – Lisboa; FIESP/IRS e Universidade do Minho).

• Renda, Consumo e Crescimento: o Esgotamento do Plano Real e as Condições de Retomada (com o apoio do Instituto Roberto Simonsen).

• O Desenvolvimento Econômico, Social e Político na Transição da Rússia para o Capitalismo (com o apoio da Fundação Alexandre de Gusmão).

• O Discurso Hegemônico do Livre Mercado e a Vulnerabilidade dos Grandes Países da Periferia.

Utilitários

Baixar Acrobat Reader